Cursos de Escrita Online


> Notícias sobre leitura
> Cursos
> Proposta Pedagógica
> Perguntas e Respostas
> Contato


cursos desenvolvidos pela

Dicas de Escrita

Seu, sua, seus, suas, como evitar ambiguidades produzidas por esses pronomes?

O uso dos pronomes possessivos de terceira pessoa seu, sua, seus, suas pode dar lugar a sentidos ambíguos, como no exemplo a seguir:

João, Pedro saiu com o seu carro.

Aqui o pronome seu não esclarece de quem é o carro, se de Pedro ou de João.

Para evitar a confusão, em situações como essa, substitui-se o pronome causador da ambiguidade (seu) por dele, dela, deles, delas, do senhor, etc., que deixam explícito o possuidor.

Se o carro for de Pedro, poderíamos dizer:

João, Pedro saiu com o carro dele.

Se o carro pertencer a João:

João, Pedro saiu com o carro do senhor.

Assim, mesmo que o contexto de uso possa desfazer possíveis ambiguidades, em textos escritos, é aconselhável evitar o emprego dos pronomes possessivos seu, sua, seus, suas sempre que houver qualquer possibilidade de mais de uma interpretação. O leitor agradece.

Aliás, na revisão de textos de diferentes gêneros, mais particularmente em narrativas de iniciantes, tenho constatado um emprego excessivo desses pronomes; na maior parte das vezes, desnecessários. Nesses casos, basta uma leitura atenta para eliminar todos os pronomes (e outros termos) não necessários.


Texto originalmente publicado no blog Scriptura e getilmente cedido pela autora

Neiva Tebaldi Gomes
15/07/2020

 

 

Voltar


 


Acesso rápido: Curso de Escrita | Curso de Criação Literária | Oficina de Crônicas

Cursos de escrita desenvolvidos pelo Prof. Dr. Marcelo Spalding ou convidados - todos os direitos reservados