Cursos de Escrita Online


> Notícias sobre leitura
> Cursos
> Proposta Pedagógica
> Perguntas e Respostas
> Contato


cursos desenvolvidos pela

Dicas de Escrita

Quando usar corretamente LHE e LHES

São muito comuns erros no emprego desse pronome em usos como o seguinte:

Jamais lhe procurei.

Por que esse uso não é correto?

Por uma razão simples: lhes e lhes só podem ser empregados para substituir complementos verbais preposicionados, como nos exemplos abaixo:

> Enviou-lhes um convite. (enviou a elesaos amigosaos colegas,)

> Entregaram-lhe a encomenda. (entregaram a vocêà avóà colega, etc.)

> Disseram-lhes que não virias. (disseram a elesa elasaos familiares, etc.)

> Nada lhe contaram a respeito da doença. (nada contaram ao doenteao chefeà família)

> Não podemos lhes oferecer nada além de palavras de conforto. (oferecer aos doentesaos familiares, etc.)

> Devia-lhes obediência. (devia obediência aos paisaos superiores, etc.)

Note que o pronome LHE(S) normalmente é empregado com verbos que exigem dois complementos, mas substitui sempre o complemento com preposição que equivale a “a alguém” ou “para alguém”.

Enviou algo a alguém; entregaram algo a alguém; disseram algo a alguém; contaram algo a alguém; devia algo a alguém.

Na frase acima – Jamais lhe procurei -, percebemos que o lhe não pode ser substituído por a “a alguém”. Diríamos: Jamais procurei alguém e não a alguém. Ou seja: o verbo procurar exige um complemento não preposicionado, por isso não é substituível por lhe.

Empregando corretamente o pronome teremos:

Jamais o procurei ou jamais procurei você.

Resumindo: só use LHES(S) para substituir complementos de verbos que poderiam ser substituídos por a alguém. (Para quem lembra as regras de gramática, LHE(S) serve para substituir objeto indireto).

Observe que, nas frases 4 e 5 acima, o pronome está antes do verbo por atração dos advérbios nada e não, respectivamente. (Na terminologia gramatical, diz-se que ocorre a próclise)

Apenas a título de curiosidade: LHE(S), além de substituir complemento verbal preposicionado, pode ser empregado em lugar de dele(s), dela(s) indicativos de posse, como nos exemplos abaixo.

Roubaram-lhe os documentos. (= os documentos dele ou dela).

Tocou-lhes o rosto. (= o rosto deles ou delas).

Mas em construções como essas não preocupam, porque não há possibilidade de erro.


Texto originalmente publicado no blog Scriptura e getilmente cedido pela autora

Neiva Tebaldi Gomes
15/08/2020

 

 

Voltar


 


Acesso rápido: Curso de Escrita | Curso de Criação Literária | Oficina de Crônicas

Cursos de escrita desenvolvidos pelo Prof. Dr. Marcelo Spalding ou convidados - todos os direitos reservados